167459-february-birthstone-amethyst-1280x550.jpg

SIGNIFICADO E HISTÓRIA DA AMETISTA

O nome “ametista” deriva do grego amethystos, que significa “um remédio contra a embriaguez”, um benefício há muito atribuído à pedra de nascença roxa. Por causa de sua cor semelhante ao vinho, a mitologia grega antiga associava a gema a Baco, o deus do vinho. A ametista também era considerada para manter o usuário lúcido e perspicaz em batalha e negócios. Os europeus da Renascença achavam que acalmava amantes dominados pela paixão.

A ametista é a gema tradicionalmente oferecida no sexto aniversário de casamento. Use-o na celebração de suas núpcias de casamento ou como sua pedra de nascimento de fevereiro e você estará em companhia real: Catarina, a Grande (Imperatriz Catarina II da Rússia, 1729-1796) tinha uma queda pela gema e se enfeitou com colares de ametista e brincos e outros ornamentos. A famosa conhecedora de joias Wallis, duquesa de Windsor (1896–1986), fez uma declaração memorável quando usou um luxuoso colar de ametista projetado por Cartier em uma festa de gala em Versalhes em 1953.

Historicamente, a realeza admirava o tom púrpura profundo da pedra de nascimento de fevereiro desde, pelo menos, os dias de Alexandre, o Grande. A tradição da ametista também inclui várias reivindicações de poderes místicos, incluindo a de que transmitiria força e inteligência para aqueles que a usassem. Se você comemorar o aniversário de fevereiro, usar uma ametista pode ser um símbolo de fortalecimento pessoal e força interior.

ONDE A AMETISTA É ENCONTRADA?
A Rússia foi a principal fonte de ametista até o século 19, quando grandes depósitos foram encontrados no Brasil. Antes tão rara quanto rubi ou esmeralda, a ametista de repente estava em abundância. Hoje, as fontes mais importantes de ametista estão na África e na América do Sul. O Brasil ainda é um grande fornecedor, especialmente em seu estado mais ao sul, o Rio Grande do Sul, embora a ametista em bruto extraída lá tenda a ter uma cor mais clara do que a ametista encontrada em outros países. A ametista do Brasil às vezes se forma em geodos ocos revestidos de cristal tão grandes que você pode ficar em pé neles.

A mina Anahí na Bolívia é outra fonte importante de ametista. Escondida no Pantanal, a mina Anahí está envolta em uma tradição fascinante. Foi descoberto por um conquistador espanhol nos anos 1600, dado a ele como dote quando se casou com Anahí (uma princesa da tribo Ayoreo), esquecido por três séculos e redescoberto na década de 1960. A mina Anahí também é famosa nos círculos de gemas como a fonte dos incomuns cristais de ametista-citrino bicolores chamados ametrina.
 
Na África, a mina Kariba da Zâmbia é uma das maiores produtoras de ametista do mundo. A ametista extraída lá tende a ser de excelente qualidade com cores ricamente saturadas.

A ametista também é encontrada nos Estados Unidos, a apenas 74 km de Phoenix, Arizona. A mina de ametista Four Peaks está localizada no alto da parte mais acidentada das Montanhas Mazatzal. Um local remoto, temperaturas quentes de verão e falta de água e energia na mina criam condições desafiadoras. No entanto, este terreno irregular, árido e infestado de cascavel produz alguns cristais de ametista muito finos em tons de roxo escuro e vermelho arroxeado.